7 bilhões de investimentos para geração de energia renovável foram atraídos com leilão realizado no Brasil

Image

ANEEL e CCEE divulgaram em nota que participação de hidrelétricas foi significativo, contudo fontes como eólica, solar e térmicas a biomassa também tiveram bons números.

Para garantir a segurança energética do país nos próximos anos, o primeiro leilão de energia nova do ano, realizado no dia 27 de maio de 2022, teve bons números nos empreendimentos renováveis de acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Ao todo 29 usinas foram contratadas e cerca de 7 bilhões de reais em investimentos registrados. De acordo com as instituições, os empreendimentos fornecerão eletricidade gerada a partir de recursos hídricos, eólicos, solares e de biomassa, assim como 947 megawatts de potência construídos.

A construção dos empreendimentos também está prevista em 11 estados brasileiros. Entre eles estão Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins.

Outro ponto comentado pela ANEEL é que a energia produzida será direcionada ao Sistema Interligado Nacional (SIN) a partir de 2026 até 2045. O objetivo é atender a demanda de três distribuidoras no mercado regulado, que abastece residências e pequenas e médias empresas.

Já de acordo com estimativas da ANEEL, foram firmados contratos com preço médio 9,36% menor do que o valor teto definido, o que vai gerar uma economia de aproximadamente 1 bilhão de reais.

Ao todo 18 projetos hidrelétricos foram registrados durante o leilão, os quais serão construídos em 7 estados brasileiros. Cinco projetos solares também foram registrados, os mesmos, por sua vez, devem atender somente o estado de Pernambuco. Já em relação aos empreendimentos eólicos, 4 deles foram cadastrados, sendo sua produção voltada para os estados da Bahia e Paraíba. E por fim as térmicas a biomassa, a qual devem gerar em torno de 61,5 MW e atender os estados de Mato Grosso do Sul e São Paulo.

Pesquisas voltadas a bioeconomia florestal estão ganhando força

Assim como os leilões de energia, pesquisas voltadas à bioeconomia florestal do país também estão ganhando força no Brasil. Além de fomentar a produção renovável, as mesmas contam com o propósito de promover a pesquisa e o desenvolvimento de soluções inovadoras na região amazônica, em áreas como materiais avançados, bioeconomia florestal, economia circular, biotecnologia e biofarmacos.

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII), organização social supervisionada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), vai selecionar até 10 Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs) da região Norte para integrar seu ecossistema de inovação de acordo com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações.

O anúncio da chamada pública para seleção das instituições foi realizado na terça-feira, 31 de maio e contou com a participação do ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Paulo Alvim; do diretor-presidente da EMBRAPII, Jorge Guimarães; do presidente do BNDES, Gustavo Montezano; do secretário de Ensino Superior do MEC, Wagner Vilas Boas, dentre outras autoridades.

Fonte: Eólica BR

Gostou do Conteúdo, Cadastre-se já e receba todas as notícias de Canal Eólica BR no seu email cadastrado

Compartilhe esta noticia: